Paralimpíadas chegam ao fim com recorde brasileiro

Número de medalhas foi o maior conquistado até hoje; cerimônia de encerramento emociona e agita Maracanã

Publicado em 19/09/2016

Neste domingo (18) chegaram ao fim as Paralimpíadas do Rio de Janeiro, e em meio a muita festa no Maracanã, o legado do evento brasileiro ficará marcado como um dos grandes eventos do gênero até hoje. Recordes de público, superação brasileira no quadro de medalhas e grandes disputas ainda vão repercutir por um bom tempo. Aproveitamos a ocasião para lembrar de alguns destaques do marco carioca.

Cerimônia

A cerimônia de encerramento foi bem agitada e emocionante ao som de Ivete Sangalo, Andreas Kisser, Nação Zumbi e muito mais, com homenagens aos atletas e voluntários. Ainda foi lembrado o ciclista iraniano Bahman Golbarnezhad, que morreu durante uma das provas da modalidade, além da velocista cadeirante Tatyana McFadden, dos EUA e o nadador sírio que competiu pela equipe de refugiados, Al Hussein.

Medalhas

Veja como ficou o quadro de medalhas ao final dos Jogos:

O quadro de medalhas, como sempre, foi motivo de muita atenção durante as competições, especialmente para os brasileiros, que almejavam finalizar em quinto o evento. No final, a delegação tupiniquim teve que se contentar com o oitavo posto, mas a grande alegria foi o número total de pódios - 72. O antigo recorde era de 47, ou seja, a equipe do Brasil esteve muito mais competitiva jogando em casa. Foram 14 ouros, 29 pratas e outros 29 bronzes.

Quando o assunto é medalha em Paralimpíadas, lembramos obviamente de Daniel Dias, dono agora de 24 premiações, tornando-se o maior ganhador da história das piscinas neste tipo de disputa. Chamado de “Phelps brasileiro”, o campineiro teve em seu pescoço todas as cores penduradas, em provas individuais ou revezamento e fecha mais um ciclo olímpico ainda com energia para os Jogos de Tóquio, em 2020.

Mais Brasil

Apesar de algumas decepções como o desempenho de Alan Fonteles e Terezinha Guilhermina, a delegação brasileira conseguiu grandes resultados, muitas vezes inesperados, como as medalhas de Petrúcio Ferreira e Edneusa Dorta no atletismo ou, além das conquistas no tênis de mesa, halterofilismo e bocha.

Enquanto a natação e o atletismo foram os carros-chefe do Brasil, o futebol de 5 deu mais uma vez orgulho para os brasileiros, já que o time conquistou sua quarta medalha de ouro em quatro edições dos Jogos que o esporte faz parte do programa. Além disso, chamam a atenção na modalidade as arenas cheias, afinal, tais partidas foram algumas das que mais atraíram o público.

Foto: Divulgação/Rio 2016/Alex Ferro