Catar 2022: quanto dinheiro é preciso economizar para ir?

Investindo um pequeno valor por mês, é possível realizar o sonho

Publicado em 04/08/2018
imagem digital da lateral do estádio al-thumama com várias pessoas árabes em volta

Se você, por motivos financeiros, não conseguiu viajar à Rússia para assistir aos jogos da Copa do Mundo de 2018, mas ainda não desistiu do sonho, está na hora de começar pensar em Catar 2022. Com um pouco de disciplina e usando truques de investimento a seu favor, as chances de você comemorar um gol bem pertinho de seus jogadores favoritos são muito grandes.

Segundo Francis Wagner, CEO do aplicativo Renda Fixa, em entrevista ao site MdeMulher, quem pretende fazer um esquema de mochilão terá que desembolsar de 13 a 15 mil reais. Já os turistas que pretendem ter mais conforto no Catar gastariam entre 22 e 25 mil. Esses seriam os valores referentes a uma semana de estadia.

estádio al wakrah

Foi levado em consideração o custo de passagem, hospedagem, ingressos para três partidas da primeira fase, alimentação, transporte e passeios - sem esquecer de adicionar algumas simulações da inflação, que deve aumentar nos próximos quatro anos. 

“A gente não consegue ver a agenda de voos para 2022, então fizemos algumas simulações. Vimos o quanto que subiram os preços das passagens na Copa da Rússia e aí fizemos um acréscimo para ter uma base”, explica Francis.

estádio al thumama

Em relação aos gastos com passeios turísticos, eles usaram a cidade de Doha como exemplo. Para conhecer 12 pontos turísticos com guia, um adulto desembolsaria cerca de 500 dólares – que equivalem a poco mais de R$ 1,9 mil na cotação atual.

Para conseguir todo esse dinheiro, recomenda-se investir um valor mínimo todos os meses, em um fundo conservador. “Por exemplo, para a pessoa chegar nos 15 mil reais em quatro anos, se ela investir de 300 a 350 reais por mês, ela consegue atingir a meta. Para valores baixos como esse é possível optar pelo Tesouro Selic e Tesouro Direto. Esses dois produtos vão render um pouco mais do que a poupança”.

Foto: Divulgação/Fifa