Assista ao vivo a última etapa do Mundial de Surfe

Medina, Filipinho e Julian Wilson brigam pelo título da WSL em Pipeline

Publicado em 10/12/2018
Gabriel Medina surfando Pipeline

Os nervos dos fãs do surfe estão à flor da pele com a chegada da última etapa da World Surf League 2019, o circuito mundial da modalidade. E a disputa pelo grande título está acirradíssima, com três atletas brigando pela glória eterna, sendo que dois deles são os brasileiros Gabriel Medina e Filipe Toledo

Com uma janela de espera que abriu no dia 8 de dezembro e vai até o dia 20, o Billabong Pipemasters é o evento mais emblemático do tour, disputado tradicionalmente em Pipeline, no Havaí. Até agora as ondas não colaboraram, e a próxima chamada acontece amanhã (11) às 15h30 (Brasília). 

Após 10 etapas, Medina ocupa a liderança do ranking, com 56.190 pontos. Na 2ª colocação vêm empatados Toledo e o australiano Julian Wilson, ambos com 51.450 pontos. Em busca do bicampeonato mundial, Medina precisa chegar à final da competição para garantir o título sem depender de outros resultados. Caso pare na semi, Toledo ou Wilson precisam vencer o evento para assumir a ponta. Um resultado pior do que a semifinal para Medina dará o título a Toledo ou Wilson se um deles chegar à final. 

Considerando o histórico dos surfistas na competição, conhecida por seus tubos perfeitos, Medina e Wilson saem na frente. Os dois inclusive já protagonizaram uma final épica em 2015, na qual o australiano levou a melhor com um placar de 19,63 x 19,20, com direito a uma nota 10 do brasileiro. Em 2014, ano de seu primeiro título mundial, Medina também chegou à decisão do Pipemasters, mas foi derrotado pelo compatriota Adriano de Souza. Toledo, por sua vez, tem como melhor resultado no Havaí as quartas de final de 2014.

Medina é o único na disputa que já tem um campeonato mundial no seu currículo (2014). Em 2018 ele venceu duas etapas do circuito (Tahiti, Surf Ranch) e fechou o ano entre os três melhores do mundo nas últimas quatro temporadas. Wilson, que venceu as etapas de Gold Coast e França em 2018, tem como melhor resultado em sua carreira um 3° lugar no circuito em 2017. Filipinho também vive um grande ano na elite do surfe, com conquistas no Rio e J-Bay, sendo que sua melhor classificação geral foi um 4° lugar em 2015.

Os fãs podem assistir ao vivo as baterias do Billabong Pipemasters pelo site oficial do circuito, Facebook ou app.

Damien Poullenot/WSL/Divulgação