O último UFC de 2016 mostrou que uma de suas grandes dinastias parece ter chegado ao fim. Com uma derrota relâmpago contra Amanda Nunes, Ronda Rousey deixou a impressão de que não voltará tão cedo aos octógonos para competir. 

A luta, que valia o cinturão da categoria peso galo feminino, surpreendeu todos os fãs de MMA do mundo, no dia 30 de dezembro, pelo UFC 207. Defendendo seu título, a brasileira foi para cima com tudo desde o início, e com socos certeiros não deu nenhuma chance para a norte-americana. Com apenas 48 segundos de combate, o confronto foi encerrado por nocaute técnico.

Rowdy não competia profissionalmente desde novembro de 2015, quando perdeu sua invencibilidade e o título para Holly Holm.

Essa foi sua segunda derrota seguida, e após a luta deu claros sinais de que repensaria sua carreira. Muitas especulações sobre sua aposentadoria surgiram com o revés, e a atleta, com mais tempo para refletir sobre o seu momento, deu um depoimento à ESPN dos Estados Unidos, no dia 2 de janeiro:

“Voltar, não apenas a lutar, mas a vencer também, foi meu foco principal nesse ano que passou. Entretanto, às vezes, mesmo quando você se prepare e dá tudo que pode para alcançar aquilo que almeja tanto, as coisas podem não sair como foram planejadas. Eu me orgulho de ver como as mulheres chegaram tão longe no UFC, e aprecio todas aquelas que fizeram isso possível, inclusive Amanda. Eu preciso de um tempo para refletir e pensar sobre o futuro. Obrigada por acreditarem em mim e compreenderem.”

Aos 29 anos, ela traz em seu cartel 12 vitórias e duas derrotas apenas. No UFC, ela soma 6 vitórias em 8 combates.

Foto: Divulgação